João Pereira de Almeida

outubro 2014
Os últimos anos no nosso País, foram anos de mudança, com melhores ou piores resultados
em muitas áreas, mas estas mudanças apenas reflectem o estado de atraso civilizacional onde
vivíamos e ainda vivemos. 
Para todos os que viajam na nossa Europa, é comum dizermos “ porque é que em Portugal
não é assim?"
A saúde felizmente é das áreas onde o investimento pessoal de médicos, enfermeiros,
fisioterapeutas, psicólogos e outros, colocaram o nosso País entre os mais desenvolvidos do
mundo.
Apesar do pouquíssimo auxílio estatal, na formação Post graduada o investimento pessoal e o
brio destes profissionais deu um excelente resultado.
Infelizmente o mesmo não se passa na Educação e na Justiça, onde assistimos a
comportamentos deploráveis de eficiência. 
Na Medicina Desportiva, também o processo de evolução prossegue com a formação Pré e
Post graduada nas Universidades e Hospitais, assim como as acções de formação e
actualização têm uma regularidade apreciável.
Portugal está agora representado nos Órgãos máximos da Medicina Desportiva internacional,
EFSMA e FIMS, permitindo assim dignificar o bom trabalho realizado por todos os profissionais
Portugueses desta área médica. 
Vai realizar-se em Dezembro o nosso Congresso, no Estoril. Pretendemos que este evento
traduza a assinalável actualização dos nossos profissionais e a comunhão de esforços das
equipas pluridisciplinares.
Também na área do desporto, na área do controlo do doping comum com a nossa actividade,
houve mudanças.
A saída voluntária do Sr. Dr. Luís Horta, após longos anos de permanência e dedicação,
implicou a nomeação (desta vez por concurso público de competências), de um novo
responsável pela ADOP, Sr. Dr. Rogério Jóia. 
Saúdo esta nomeação,esperando que pelo diálogo,as organizações desportivas possam
contar com a colaboração desta importante estrutura estatal.
Já apresentei cumprimentos oficiais em nome da nossa Sociedade e obtive da parte do novo
Presidente da ADOP, uma total abertura e vontade de colaborar.
Desejo-lhe os melhores êxitos nesta tarefa conjunta. 

João Pereira de Almeida